Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Love and Other Disasters

Love and Other Disasters

Coisas que nos dizem sobre a Grécia que não devem ser verdade

No comentário do Marcelo Rebelo de Sousa na TVI de dia 7 de Junho de 2015, diz o Marcelo "Porque prometeu o governo o 13º mês a 12 milhões de gregos" (do minuto 11:34 a 11:42).

 

Segundo os censos gregos de 2011, a população grega é constituída por 10.816.286 pessoas, sensivelmente menos 1 milhão do que os 12 mil que o Prof. Marcelo fala.

 

Podíamos argumentar que em 4 anos a população grega deve ter aumentado mas mesmo assim, nunca seria constituída a 100% por uma população ativa que poderia usufruir desse 13º mês. Por isso, fui procurar o número de pessoas empregadas e descubro que a força laboral grega, em 2013, era 4.862.900 dos quais 3.534.900 estavam empregados.

 

Para quem tiver interesse em ver o documento do Instituto de Estatística grego, fica aqui o link.

 

 

Coisas que me arreliam

As alucinações do telemóvel a tocar, o meu quarto não se arrumar sozinho, a tese não aparecer feita, o Vítor Gaspar já se ter enganado três vezes ao longo do discurso, o microfone dele ter deixado de funcionar a meio da sua oração, ter sido usado a palavra "alavancagem" durante a conversa do ministro ao país e... sim, isso das medidas de austeridade também.

Parti-me a rir

Apelido do novo PM francês faz corar o mundo árabe

 

A nomeação do primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, acabou por ser um autêntico quebra-cabeças para a imprensa de língua árabe. Tudo porque o apelido do novo líder do governo gaulês se pronuncia 'Ayru', que em árabe significa 'pénis'.

O problema pôs-se durante algumas horas desde que o nome escolhido para encabeçar o governo francês chegou aos ouvidos das redacções arábicas. Como contornar tamanho problema de pronúncia?

De acordo com a publicação France Soir, alguns transcreveram o apelido como 'Aro', outros acrescentaram um 'H' aspirado no início do nome, outros optaram simplesmente por omitir o apelido traiçoeiro, referindo-se ao recém-nomeado primeiro-ministro apenas como Jean-Marc.

Para desfazer todos os mal-entendidos, o ministro francês dos Negócios Estrangeiros enviou à imprensa uma nota oficial, onde manteve a opção de transcrever todas as letras do nome como se fossem pronunciadas – e não mudas, como de facto são na língua francesa.

Aqui incluem-se as letras finais 'L' e 'T', que, pronunciadas com clareza, fazem com que a palavra perca a sonoridade 'Ayru', que lembra ao mundo árabe o órgão genital masculino.

 

SOL